O presidente da Câmara Municipal de São Luís, o vereador Osmar Filho (PDT), e o vereador Dr. Gutemberg (PRTB) retornaram, nesta segunda-feira (01), à sede da Maternidade Maria do Amparo, no bairro do Anil, com o objetivo de visitar e acompanhar os trabalhos da unidade.

A Maternidade voltou a operar graças a intermediação da Câmara Municipal, que compreendeu a relevância em manter uma entidade que há 37 anos atende às lactantes da cidade.
Para Osmar Filho, a união harmônica entre as instituições públicas devolveu à sociedade ludovicense uma casa de grande valia para as mães de São Luís.

“Ver o pleno funcionamento da Maria do Amparo é gratificante. A Câmara através da interlocução do Dr. Gutemberg conseguiu garantir a reabertura da Casa. Nós enquanto poder legislativo municipal agradecemos a sensibilidade do prefeito Edivaldo e toda à sua equipe, onde tiveram a gentileza de criar um convênio que mantenha as portas abertas da maternidade para toda a população”, disse o presidente.

A reabertura da Maternidade foi conseguida através da intermediação da Câmara Municipal de São Luís. Foram várias reuniões até que se chegasse a um consenso e a unidade pudesse voltar a funcionar. A Prefeitura de São Luís assegurou arcar com maior parte das despesas como o pagamento de profissionais e a aquisição de insumos.
Um dos mediadores dessa causa foi o médico e vereador Dr. Gutemberg que há bastante tempo milita na área da sáude.

‘’Entrar aqui e poder ver a unidade em pleno funcionamento é o esforço de uma luta nossa enquanto colegiado da Câmara. Quero registrar meus agradecimentos à Prefeitura na pessoa do gestor Edivaldo Holanda, ao secretário Lula Filho e ao presidente Osmar por acatar a causa e perceber que vale a pena manter esta casa que possui tradição em atender mães e mulheres desta cidade’’, pontuou ele.

Fechada desde dezembro por falta de recursos financeiros a luta para manter a maternidade aberta contou com a articulação de gestores, e funcionários da Maria do Amparo e de membros da Secretaria Municipal de Saúde, com isso, foram criadas estratégias para dar continuidade aos serviços prestados da casa de parto.

Em reunião ficou definido um orçamento dotado de R$ 280 mil, mais os médicos, além da criação de um convênio entre a Prefeitura de São Luís e a unidade.