O presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Osmar Filho (PDT), promulgou nesta quarta-feira (12), durante solenidade realizada no salão de atos da Casa, projeto de lei, de autoria do vereador Francisco Chaguinhas (PP), que cria o programa “Prata da Casa”.

O programa idealizado por Chaguinhas garante espaço para apresentação de grupos, bandas, cantores e instrumentistas locais em eventos musicais e culturais que tenham financiamento público no âmbito do município de São Luís.

A nova lei, segundo Chaguinhas, vai fomentar a participação de artistas locais em grandes eventos realizados na capital, além de permitir que eles cresçam profissionalmente e levem o nome da cidade para outros locais.
“O programa oferece uma vitrine principalmente para aqueles que estão começando. Imagine um artista daqui, que está em começo de carreira, se apresentando para seis mil pessoas. Isso vai ser um incentivo para ele e uma oportunidade para população conhecer novos talentos. Com o programa, o povo da nossa terra também vai ter a oportunidade de ser conhecido nacionalmente, já que a lei de incentivo federal quase não chega às regiões Norte e Nordeste”, destacou.

De acordo com o rapper Preto Nando, que já atua há mais de trinta anos na música, o “Prata da Casa” vai fazer com que os artistas ludovicenses cresçam.

“A lei serve para fortalecer uma demanda de músicos e de produtores locais. Ela vai possibilitar com que os artistas daqui sejam de fato valorizados. Isso é o que a gente mais precisa, porque muita gente tem um bom trabalho, mas infelizmente não tem a oportunidade necessária. Nós estamos para legitimar essa lei, para pedir que ela vigore e que ela realmente atenda a nossa classe”, destacou.

Dave Brazil atua como sambista, compositor e percursionista há trinta e cinco anos. E para ele, o programa é uma luz no fim túnel, quando o quesito é valorização artística.

“Essa iniciativa vai democratizar as apresentações artísticas em São Luís. Não é que nós vamos desmerecer os artistas de fora, mas vamos ter a capacidade de nos apresentamos de igual para igual, quebrando um monopólio que impede a cultura local de crescer”, argumentou o sambista.
Para o presidente Osmar Filho, esse é o papel da Câmara Municipal, que é procurar ações que são de total interesse da população por meio de seus legisladores.

“Essa lei era um clamor da comunidade artística, que chegou a Câmara em boa hora pela iniciativa do vereador Chaguinhas e foi aprovada por unanimidade pelos outros parlamentares. Os artistas contribuem com o lazer e movimentam a economia da cidade, então nada mais justo do que uma lei que garanta a eles a oportunidade de crescer,” disse.

A solenidade de promulgação da lei contou com as presenças de autoridades políticas, artistas locais e defensores da cultura de São Luís.